2 de nov de 2010

Obstáculos viários

  

 Acidente com Porsche - Outra versão!!!

 Há algumas semanas atrás, toda a imprensa nacional divulgou um acidente ocorrido em Porto Alegre, onde um Porsche supostamente a mais de 200 km hora, não venceu uma curva, bateu e incendiou-se, causando a morte instantânea de seu motorista, e ferimentos gravíssimos no acompanhante, que mesmo sendo retirado do carro pelo filho que seguia atrás em outro carro, acabou falecendo dias após no Hospital.
As fotos do ocorrido, estão circulando pela WWW na forma de emails, e agora recebemos também por email(que foi confirmado e teve sua publicação aqui, autorizada pelo autor), uma outra versão para o acidente. Veja abaixo....



Texto recebido por e-mail:
O ASSASSINATO DE PAULO DE TARSO TEIXEIRA


Na semana passada tive o privilégio de fechar o Congresso da Sociedade de Engenharia Automotiva, SAE, falando sobre a insegurança das vias urbanas e estradas focando em seu projeto e execução. Da mesma forma, foi com muita indignação que, apesar de rodar todo o país atendendo acidentes de trânsito, foi das ruas de Porto Alegre que retirei a maior parte dos exemplos das armadilhas mortais plantadas nas vias de circulação que ceifam vidas de motoristas e passageiros envolvidos em acidentes.
Há muito tempo que critico a forma irresponsável como são feitas as construções das vias de circulação de Porto Alegre, onde são introduzidas diversas barreiras mortais. Não foi, portanto; uma surpresa constatar que o empresário Paulo Teixeira foi assassinado por uma desnecessária mureta de concreto criminosamente construída na tangente de uma curva. Qualquer engenheiro saberia que um veículo que não conseguisse fazer a curva, independente do motivo para a perda do controle, iria ao encontro deste obstáculo mortal. Porém, a placa, não só foi construída, como teve a sua autoria assinada, como se vê nas fotos abaixo.
clip_image002 clip_image004
A foto do satélite deixa claro que a quina da placa em questão é a direção certeira de qualquer veículo que venha perder a curva. E qual a função deste anteparo? Nenhuma, senão indicar o nome da estátua do Laçador. Na imagem vê-se a posição da placa e a direção que um veículo tende a seguir, causando um evidente choque.
 
 
Sem título 1
 
 
Além disto, a grande área de escape teria permitido que o veículo saísse provavelmente ileso desta perda de controle que sofreu. Ainda mais que, os danos da mureta e do veículo indicam que a velocidade do choque não foi superior a 80 Km/h, muito diferente dos 200 Km/h alegados. Este excesso de velocidade, embora constitua-se em uma infração, jamais poderá ser punido com pena de morte como o foi.
Por quanto tempo ainda vamos ter que suportar o trânsito de nossa cidade sendo administrado de forma tão amadorística ? Por que não podemos ter uma engenharia de tráfego cuidando para que possamos circular com rapidez e segurança? Trânsito é coisa séria e deve ser encarado desta forma, buscando as melhores técnicas e os mais modernos equipamentos para a segurança dos usuários. O que se viu neste acidente é uma reprise do que se viu no fim-de-semana, quando outro motorista perdeu a vida contra um poste. Recorda-se ainda o caso de Alessandra Feijó, que chocou-se contra um poste de concreto a beira de uma curva, assim como o policial que, em perseguição, chocou-se contra outro poste no corredor da Carlos Gomes em 5 de abril passado.
Assim, apesar da imprudência do condutor e de uma possível falha de projeto no veículo que permite que o combustível seja arremessado contra o ignitor do Air Bag em um choque frontal, Paulo Teixeira foi vítima de homicídio culposo (ou até mesmo doloso) por parte do responsável pela construção daquele muro de concreto. Nós devemos colocar de lado o sentimento sádico-psicopata coletivo e entender que o acontecido é incorreto e injusto. Qualquer um de nós poderia esta na mesma situação, talvez não em um carissimo Porsche, mas em um fusca, ou em um ônibus, ou até em uma ambulância, sendo socorrido por um acidente menor, porém com as mesmas conseqüências mortais.
Chega de embuste, tudo o que recebemos do Poder Público em 2010 em termos de Segurança no Trânsito foi a falsa notícia de que a campanha “Eu paro na faixa” (deveria ser antes da faixa) reduziu os atropelamento em Porto Alegre. Ocorre que, segundo o site da EPTC até agosto de 2010 ocorreram 999 atropelamentos, porém segundo as informações oficiais, somente o Hospital Pronto Socorro atendeu 1.770 atropelamentos.
Devemos exigir do Poder Público uma Engenharia de Trânsito que não nos envergonhe Brasil afora com soluções estapafúrdias e declarações infelizes. Observem que estes gestores têm nos condenado a sofrer em intermináveis e desnecessários engarrafamentos, que reduzem nossa qualidade de vida, aumentando nosso estresse e diminuindo nosso tempo livre. Vemos ainda ações e planos desconexos que levam o Porto Alegre em direção de um previsível caos na circulação de veículos em curtíssimo prazo. Ainda mais, nos condenam a morte por embate desigual contra muros, postes, árvores e elementos similares. É necessária a punição por crimes de trânsito, e isto inclui aqueles que por ação direta, omissão ou negligência na construção, manutenção e utilização da via matam os usuários.
Autor: Eng. Walter Kauffmann Neto, Diretor da Kauffmann Associados, especializada em perícias, acidentologia e segurança viária. Consultor da ONG Alerta.

Reprodução integral autorizada com citação do autor.


Fotos recebidas por e-mail:

 DSC01087 (Large)

DSC01088 (Large)

DSC01089 (Large)

DSC01090 (Large)

DSC01095 (Large)

DSC01096 (Large)

DSC01097 (Large)

3 comentários :

  1. Concordo com a questão dos obstáculos irregulares, mas também temos que lembrar da irresponsabilidade do falecido motoristta, que dentro de seu Porche se achava superior a tudo, até mesmo aos obstáculos mortais das ruas de Porto Alegre,... Não vamos tapar o sol com a peneira, realmente a mureta estáva irregular,... mas andar a 200 Km/h não é nada prudente.

    ResponderExcluir
  2. Se você leu o post todo, o engenheiro afirma que a velocidade do Porsche não era de 200km por hora, e sim em torno de 80. o azar foi o carro ter pego fogo, o que matou os condutores. Ele tava errado?? podia estar, mas só morreram porque bateu no obstáculo.....

    ResponderExcluir
  3. Estou morando em POA a pouco tempo, vindo de fora eu já havia percebido que realmente existem obstáculos perigosos em várias avenidas que ando trafegando.
    Conheci o filho de uma das vitimas e foi assim que tomei conhecimento do acidente, fui ver o local depois de ver aqui os comentários, a mureta é mesmo um absurdo e continua lá para um próximo acidente, e não precisa estar muito rápido para errar aquela curva que também é bem absurda.
    No mais, infelizmente rola uma inveja, quase uma descriminação de quem na verdade gostaria de ter um GT2, olhe para as fotos e para própria mureta e veja que não foi a velocidade que todos dizem, carros de alta são assim, não aceitam colisões deste tipo, ou se partem ao meio ou incendeiam, são de fibra de carbono ou aluminio. Foi uma infelicidade, Deus proteja aos que ficaram e de paz aos que se foram.

    ResponderExcluir