8 de ago de 2012

TOYOTA COROLLA COM K.E.R.S.?????

A Fórmula Um é um dos maiores laboratórios  em uso atualmente, no que tange as tecnologias automobilísticas, e uma delas em especial, bastante recente, é a tecnologia K.E.R.S.,Sistema de Recuperação de Energia Cinética, em inglês Kinetic Energy Recovery Systems,  um equipamento que aproveita a energia despendida nas freagens para aumentar a potência no carro, nas retas ou ultrapassagens....
Pois bem, nosso leitor Marcelo D'Arienzo,  proprietário da AEM - Auto Eletrônica Marcelo, de Passo Fundo, nos enviou algumas fotos de um Toyota Corolla, com o equipamento instalado aqui no Rio Grande do Sul!!!!



O veículo em questão,chama muito a atenção por onde passa, mas não é um K.E.R.S. gaúcho não, é simplesmente uma adaptação que permite ao proprietário, transportar o seu Parafly, ou Paramotor, se preferirem...
AWikipedia explica o que é, e seu funcionamento:

Paramotor também conhecido como Parafly é considerado uma adaptação do parapente.[1]
Os parapentes para voar necessitam uma velocidade de vento que supera os 20 km/h dependendo do tipo de vela, esta velocidade se consegue graças ao vento o ao vento que se gera ao correr nas costas.
No paramotor essa velocidade de vento se gera graças a força que proporciona o motor que levam as costas no momento que se supera a velocidade necessária para se levantar. Enquanto que em um parapente se requer uma certa altura para poder voar, com o paramotor se pode levantar voo praticamente de qualquer lugar plano.
Existem vários tipos de motores para o paramotor, sendo desde pequenos motores para pessoas de pouco peso (55 kg aproximadamente de impulso) a motores mais poderosos para realizar voos em dupla (piloto e acompanhante, de uns 120 a 150 kg aproximadamente de impulso). Os mais usados atualmente são motores de 2 tempos, porque para implementar com motores de 4 tempos e incluir desenvolvimento para um paramotor elétrico.
A maioria dos motores são de origem européia e as marcas dedicadas a este esporte os instalam em chassis com variação de tipo e peso dehélice e o tipo de alcance de andadeiras. de anclaje del arnés. Também é possível adaptar motores de karting obtendo-se muitos bons resultados.
O parapente utilizado pode ser o mesmo que se utiliza para voos livres (sem motor) o que cada vez mais, as fábricas indicam velas especias para o voo motorizado, com maiores reforços e incluindo características diferentes, como é o caso dos parepentes com pefís "reflex". A vela geralmente é de origem européia, israelense ou brasileiras; muitas marcas ralizam a produção na Ásia.
Existem vários tipos de vela segundo as características e habilidades do piloto (mas o menos fácil, mas ou menos rápidas) e sempre se deve utilizar uma talla de vela adequada ao peso do piloto e/o acompanhante más todo a equipe.
Então pessoal, se alguém cruzar com este Corolla por aí, não se assuste, é um apaixonado por voar, trasportando o seu motor!!!!!!

Nenhum comentário :

Postar um comentário